2021 Ano Internacional dos Trabalhadores de Saúde e Cuidadores

Os trabalhadores de saúde têm um papel fundamental em assegurar saúde e bem-estar para a população. Este ano, eles têm demonstrado dedicação, sacrifício e compromisso extremos não só para fazer este trabalho, mas também para vencer a pandemia da Covid-19.

Com esse reconhecimento, os participantes da 73ª. Assembleia Mundial da Saúde, que ocorre em Genebra, anunciaram 2021 como o Ano Internacional dos Trabalhadores de Saúde e Cuidadores.

Esta decisão “aponta uma direção clara sobre o consenso e as ações necessárias para os profissionais de saúde e dos cuidados. A OMS apela a todos os seus estados-membros, instituições financeiras internacionais, iniciativas de saúde globais e parceiros para investirem na prontidão dos seus trabalhadores e educação para gerir a pandemia, manter os serviços de saúde e preparar a vacina da Covid-19″, afirmou o diretor do Departamento do Trabalho da OMS, Jim Campbell.

Os estados-membros da Assembleia apelaram, ainda, ao reforço da aplicação do código global sobre o recrutamento internacional do pessoal de saúde, reconhecendo o aumento da migração de trabalhadores da área da saúde.

Ler + em:

ONU News: https://news.un.org/pt/story/2020/11/1732632

Observador: https://observador.pt/2020/11/13/2021-vai-ser-o-ano-internacional-dos-trabalhadores-da-saude-e-cuidadores-decide-oms/

Mundo ao Minuto: https://www.noticiasaominuto.com/mundo/1626635/2021-vai-ser-ano-internacional-dos-trabalhadores-da-saude-e-cuidadores

Dia Mundial do CUIDADOR INFORMAL

Perto de 1,4 milhões de pessoas em Portugal são cuidadores informais.

Um inquérito demonstrou que o número de cuidadores informais em Portugal é mais elevado do que os 8% a 10% que se estimava. Aumento deve-se à pandemia e supressão das respostas sociais.

Dia do Cuidador Informal 2020
Dia do Cuidador Informal não pode ser esquecido!

Durante a pandemia, os cuidadores informais tiveram de enfrentar ainda mais dificuldades e sentiram-se ainda mais esquecidos. É imperativa a necessidade de implementação de medidas de apoio reais e proteção dos cuidadores, pois eles pertencem a um “grande grupo de pobreza e exclusão social” acrescenta Nélida Aguiar, membro da Direção da ANCI – Associação Nacional de Cuidadores Informais.

LER + AQUI »»»»»

Webinar sobre prevenção de acidentes domésticos

O II Momento do Centro Qualifica da AIDA ( Associação Industrial do Distrito de Aveiro), será dedicado à prevenção de acidentes domésticos.
Junte-se a nós e fique em segurança no próximo dia 27 de Outubro.
Objetivos:
Suporte básico de vida;
Posição lateral de segurança;
Obstrução das vias aéreas;
Feridas;
Queimaduras.

Formador: António Vinagre
Bombeiro Profissional e Formador certificado pelo INEM

Para assistir clique no link: https://zoom.us/j/99065316029?pwd=SVNzdjJMejFNSHdmcGdmeFFiZ3F2dz09

Contamos com a sua presença!

Local: Plataforma Zoom

Horário: 19h00 às 20h30

Farmácia Central Ovar apoia a AFPA

A Farmácia Central de Ovar, lançou uma campanha no Facebook para apoiar a nossa associação, durante o mês de maio.

Com a pandemia de COVID-19, e na impossibilidade de ser realizada a “caminhada solidária” a favor desta associação, a Farmácia Central de Ovar lançou uma campanha humanitária para angariação de fundos, que decorreu durante o mês de maio.

Ao partilhar esta publicação nas redes sociais, qualquer pessoa poderia contribuir para ajudar a AFPA. Por cada partilha, a Farmácia Central de Ovar doaria 1€ à nossa instituição.

Esta campanha angariou 117 partilhas!

Ajude-nos a ajudá-los, partilhe a nossa publicação e já está a doar 1€ 🙏“.

Resta-nos agradecer à diretora-técnica, Dra. Maria José Coelho, a excelência de uma farmácia comunitária que também apoia a nossa causa.

Bem haja!

Faleceu o Sócio Fundador da AFPA

A Direção da AFPA lamenta informar o falecimento do seu Sócio Fundador, Sr. José Augusto Camboa da Silva.

O funeral realizou-se hoje, dia 28 maio, pelas 11 H, na Igreja Matriz e a nossa Associação fez-se representar pela sua atual presidente e secretária que, durante as cerimónias religiosas, cobriram a urna com a bandeira da fundação da associação. 

José Augusto Camboa da Silva foi um homem que pela sua luta, coragem e trabalho ao longo de mais de duas décadas, muito contribuiu, particularmente na área social e da saúde, para a qualidade de vida no concelho de Ovar e cujos beneficiários, assim como toda a Direção, jamais esquecerão.

A Direção da Associação Fraterna de Prevenção e Ajuda, e todos os seus colaboradores e amigos, apresentam à Família as mais profundas e sentidas condolências.

Covid-19 – a “cultura do descarte”

Sem os idosos não há futuro!

Um apelo traduzido em várias línguas e difundido internacionalmente exige a re-humanização das nossas sociedades. Não aos cuidados de saúde selectivos.

Na pandemia de covid-19, os idosos estão em perigo em toda a Europa como noutros países. O número dramático de mortes nos lares de idosos é arrepiante.

Muito precisará de ser revisto nos sistemas públicos de saúde e nas boas práticas necessárias para alcançar e tratar todos com eficácia e para superar a institucionalização. No entanto, estamos particularmente preocupados com as tristes histórias dos massacres de idosos nos lares. Tudo isso não teria acontecido se a ideia de que seja possível sacrificar as vidas deles em favor dos outros não tivesse ganhado força. É o que o Papa Francisco define como a “cultura do descarte”, que priva os idosos do direito de serem considerados pessoas, mas apenas um número e, nalguns casos, nem isso.

Em muitos países, diante da necessidade do tratamento, está a surgir um modelo perigoso que favorece um “serviço de saúde selectivo”, que considera a vida do idoso como residual. A maior vulnerabilidade deles, a idade avançada, as possíveis outras patologias das quais são portadores, justificariam uma forma de “escolha” em favor dos mais jovens e dos mais saudáveis.

Não é possível deixar a morrer a geração que lutou contra as ditaduras, trabalhou pela reconstrução após a guerra e construiu a Europa.

É hora de dedicar todos os recursos necessários para salvaguardar o maior número de vidas e humanizar o acesso aos cuidados para todos. O valor da vida permanece o mesmo para todos. Aqueles que depreciam a vida frágil e débil dos mais velhos estão a preparar-se para desvalorizá-las todas.

SEM OS IDOSOS NÃO HÁ FUTURO!

Ler a notícia na íntegra: https://www.publico.pt/2020/05/23/opiniao/opiniao/idosos-nao-ha-futuro-1917626?fbclid=IwAR1rY95j_urxikjYvLdHbl5UdPoZxnpxg2USzoQYQxknB85uK7MCm2Z0rs8

Idosos|Covid-19|Jornal Público|Coronavírus